28.4.08

de tudo aquilo que eu quero fazer

são 21 20 da noite e eu estou seriamente pensando em dormir. e isso não faz o mínimo sentido por dois motivos: pq eu tenho sono geralmente lá pela 1 da manhã e pq, se eu já dormi antes das 21 30 na vida, foi meramente um acaso - nunca um sono premeditado.
mas tô eu aqui pensando que eu deveria ir dormir. mas eu olho pra minha cama e vejo a revista que eu acabei de comprar na banca esperando por mim em cima da cama, ainda com plástico e tudo. ela tá ali desde as 20 30, hora q eu consegui colocar o pé em casa, depois de passar na banca no caminho de volta pra casa e pensar "vai lá, juliana, compra outra revista que você não vai ler e coloca junto com os outros livros que estão pela metade, enquanto você ouve aquela banda que lançou um cd em 2006 e vc até hj não baixou e pensa que tem que ir na locadora pegar aquele filme de 1976 que, não conta pra ninguém, eu tb ainda não vi". bom, então, eu fui lá e comprei a revista. e ela tá aqui. embrulhadinha em cima da cama.
e eu tô na frente de um computador, tentando ler todos os blogs do meu bookmark, enquanto eu tento ouvir a mesa redonda nossa de toda segunda e comprar ingressos pro jogo de domingo, falando no msn. obviamente, nenhuma dessas atividades é concluída com sucesso. a tv dançou primeiro - pq eu tava de costas e as considerações do pessoal viraram barulho de fundo de praça de alimentação - e eu não conseguia prestar atenção nos textos. mas, antes de desligar, eu considerei fortemente a hipótese de pegar a reprise da madrugada. o papo do msn já dançou tb, pq a companhia foi jantar - eu aproveitei e peguei algo pra comer tb - e na volta fingi de morta para os demais, mas logo uma súbita urgência de falar amenidades me acometeu e lá fui eu cutucar alguém virtualmente.
e ai eu olhei para a minha mão no teclado: "meu deus, que unhas horríveis!! quem mandou pintar de vermelho?? agora tem q pintar toda semana". lógico que eu mesma pinto pq a paciência de ir a um cabelereiro toda semana, ficar com a mão no potinho, foleando uma revista cheia de gente que eu nunca vi mais gorda (nem mais magra, nem mais morena) e jogando conversa fora sobre este povo todo que eu nunca vi na vida, simplesmente não existe. então, mais uma coisa pra lista.
fora isso eu ainda tenho que lembrar de pagar uma conta da qual eu ainda nem recebi o boleto mas já venceu. baixar as fotos da festa do mês passado, as fotos do celular do domingo da virada, escanear o desenho que eu fiz ontem e quero colocar no flickr, desenhar, arrumar os meus cds - e aproveitar e passá-los todos para o computador, pq, senão, eles não existem mais musicalmente para mim - e os dvds tb, claro. fora os livros que me esperam no criado-mudo. e o freela que eu fiquei de fazer. e o post q eu quero fazer no outro blog. e este post. e trocar as músicas do ipod, pq ele é pequeno e eu que forneço a trilha sonora da firrrma. e eu fiquei de ligar para a professora de francês às dez da noite - pq é qdo ela vai estar livre - para marcar mais um compromisso semanal. fora a terapia que foi parar no meio do feriado. e o ballet que teve que ser trocado pelo jazz, pq ninguém consegue chegar às 18 30 em lugar nenhum em são paulo, e o jazz começa depois da hora do rush.
as outras seis abas do meu navegador ainda estão abertas, lá, me esperando. o msn tá aqui pulando. o torrent tá puxando todo o conteúdo q eu mal vou aproveitar - vou, qdo mto, dar uma conferida. e os livros só me olhando feio do lado da cama.

Um comentário:

pedro disse...

Legal, curti seus escritos :)